Arquivo da tag: administracao

Equilíbrio e Resultado – Christian Barbosa (2012)

Texto integralmente reproduzido do site Engrandece. [Link ao final]

“Equilíbrio é a junção da oportunidade com a sua capacidade de executar”

NOTA: 9/10.

Imagine que a sua vida é uma balança. Em um dos lados da balança existe o equilíbrio, tudo aquilo que você faz para aumentar o seu bem-estar. Do outro lado, estão o resultado, os objetivos que você consegue, de fato, alcançar. O equilíbrio está ligado com o que você quer ser e o resultado com o que você quer ter. Você acredita que é possível conquistar as duas coisas ao mesmo tempo? Muitas pessoas creem que, quanto mais subirem na carreira, menos qualidade de vida terão. Mas para Christian Barbosa, especialista em produtividade e gestão do tempo, isso não é verdade. Se você quiser descobrir como conseguir ter uma vida equilibrada, equivalendo o peso de cada lado da sua balança, o resumo do livro Equilíbrio e Resultado é para você.

Quem Não Está Cansado de Tudo?

O mundo inteiro está apressado e cansado. Hoje, quase todos vivem atrasados, correndo de um lado para o outro e cheios de coisas para fazer. Ao mesmo tempo, todos desejam ter uma vida mais equilibrada, com resultados, o que não significa a ausência completa de estresse, e sim um controle sobre os fatores estressantes de modo que não prejudiquem o seu dia a dia.

Vidas Adiadas

O problema de viver uma vida sem tempo, sem graça, sem alegria, sem resultados e sem equilíbrio que muitos insistem em levar é que, dessa forma, as pessoas adiam a própria vida. As pessoas vivem sem viver de verdade, deixando de fazer o que deveria ser feito. O grande problema é justamente adiar coisas que não deveriam ser adiadas, aquelas que são realmente as mais importantes das nossas vidas.

A Matriz da Vida

Você já pensou no que, de fato, significa aproveitar a vida? Todos falam de qualidade de vida, das boas empresas para se trabalhar, do emprego perfeito, da fórmula mágica de uma vida que valha a pena de verdade. Mas será que as pessoas que alcançam tudo isso, realmente estão felizes? A maior parte dessas pessoas, quando questionadas, dizem que não estão plenamente satisfeitas. Falta algo. Milhões de reais na conta bancária não compram segundos de equilíbrio, tempo familiar e saúde. Para muitos, trabalhar para ter sucesso financeiro significou o fracasso em outras áreas da vida. Em outras situações, profissionais que alcançavam um bom nível de equilíbrio pessoal não alcançavam resultados palpáveis.

As Quatro Células

O equilíbrio da vida está baseado na teoria das quatro células, em todas as áreas da vida. A primeira célula é a de quando você não se sente bem e não sabe se precisa mudar alguma coisa. Na segunda célula, a decepção toma conta de você e você se decepciona com o rumo da sua vida. Quando chega na terceira célula, você entende o seu patamar e, com conhecimento a respeito de si próprio, atinge os resultados que deseja. Se chega na quarta célula, a realização faz você ter uma percepção total de um equilíbrio que move você para frente. Então, em qual célula você se encontra?

O Que Impede O Seu Equilíbrio e Resultado?

Hoje em dia, o que se sabe, sem dúvida, é que o cavalo e o cavaleiro existem, e um depende muito do outro. Ou seja, a cada momento você tenta tomar decisões, mas aí vem o cavalo, a emoção, e atropela o cavaleiro, a razão.

A Formação do Seu Mindset

O seu mindset é o modelo mental que você desenvolveu e aplica no dia a dia. Desde a infância nós treinamos o nosso cérebro, por meio de nossas próprias lembranças e experiências, bem como da observação do comportamento de todas as pessoas que estavam ao nosso redor. Nós treinamos o nosso cérebro para várias coisas como, por exemplo, decidir algo, planejar, trocar a preguiça pela execução, pensar para resolver problemas, entre outras coisas. Um treinamento que diariamente é imposto a nosso cérebro, e que ele aprende com muita eficácia, é fazer tudo em cima da hora. É claro que alguns conseguem superar esse modelo mental, mas a maior parte das pessoas reproduzem esse e outros padrões na maneira como lidam com os medos, nas formas de vencer os desafios, na gestão financeira etc.

O Poder da Energia Pessoal

A energia pessoal é um grande ingrediente para que o seu cérebro saia do lugar. O problema é que o mundo passa por uma grave crise de energia pessoal. De tão cansados, os profissionais não conseguem dar o passo seguinte na vida para se moverem entre as células da matriz. Muitos se perguntam se a gestão de energia pessoal vem antes ou depois da gestão de tempo pessoal. Essas duas áreas apresentam uma sinergia singular. Porque de nada adianta você ter muita energia pessoal e ser uma pessoa sem organização, sem prioridades claras e sem um método de produtividade. Então procure usar bem a sua energia, e isso a gestão de tempo faz por você. Agendar e praticar exercícios físicos, fazer checkups e cuidar da saúde aumenta a sua qualidade de vida.

Muitas Ideias e Começos, Poucas Realizações

O mundo em que vivemos, cheio de oportunidades, informações, ideias e tecnologia, transforma o nosso cérebro em um repositório de ideias que, no fim das contas, mais atrapalham do que ajudam. O principal fator causador do excesso de ideias é a falta de clareza naquilo que é importante. Quando você não sabe o que realmente é importante, você acaba aderindo a muitas atividades que roubam o seu tempo, energia e resultados. Descobrir o que realmente é importante para você não é uma tarefa fácil, é preciso um esforço de autoconhecimento para abdicar de coisas e eliminar ideias inúteis.

Preparando Suas Ideias Para a Execução

Selecionar ideias é o primeiro passo para que você consiga fazer com que elas saiam do lugar, mas ainda falta muito para que elas aconteçam de verdade. Para a ideia ser concretizada ela precisa ser implementada, e aí começa um grande problema para a maioria dos profissionais e das empresas. O tempo voa e, quando menos percebemos, é ano-novo e já estamos analisando tudo aquilo que deixamos de fazer. É nessa hora que surgem as promessas de fim de ano, das quais, é claro, apenas uma em cada dez sai do lugar. É duro, mas você sempre pode fazer uma auto avaliação para perceber a quantidade de coisas que deveria realizar, mas simplesmente você não consegue iniciar e muito menos terminar.

Os Princípios Que Fazem as Ideias Serem Executadas

Ninguém executa uma ideia da noite para o dia. É claro que existe ideias que são executadas em um único passo, como acordar em um dia e ter a ideia de comprar um celular novo. Mas, para a sua busca constante de superação, a maior parte das ideias não são tão simples de serem executadas, elas são executadas através de vários passos que, juntos, concluem o que deve ser feito. É aqui que nascem os problemas de execução, seja na pequena empresa, na multinacional ou até mesmo na vida pessoal. As pessoas têm dificuldades em estabelecer os próximos passos e, por isso, as ideias não saem do lugar.

Por Que as Ideias Não Saem do Lugar?

A procrastinação é um problema intrínseco da humanidade, mas segundo o Dr. Joseph Ferrari, professor da DePaul University, de Chicago, especializado no estudo da procrastinação, “todo mundo procrastina, mas nem todos são procrastinadores”. O estudo do Dr. Joseph Ferrari aponta que 20% das pessoas são procrastinadoras crônicas e as restantes são eventuais. É importante entender essa diferença porque a procrastinação acontece na vida de todo mundo, mas a maior parte das pessoas pode escolher não procrastinar.

Não Espere o Momento Ideal

A receita infalível para manter você na célula 1 ou 2 é adiar as atividades de forma prejudicial, porque procrastinar prejudica o resultado, já que leva o seu foco para as atividades que não são, de fato, essenciais. Dessa maneira você lota o seu dia com atividades baseadas nas circunstâncias e deixa de lado o que realmente o coloca na célula 4, do equilíbrio e resultado. Muitos pensam que é preciso esperar a hora certa. Só que a verdade é que é raro existir a circunstância ideal para que alguma coisa aconteça e, muitas vezes, ela pode demorar mais do que você gostaria. Isso não quer dizer que você deve ser inconsequente, como, por exemplo, abrir um negócio de alto risco em um momento de crise. Mas será que mesmo em períodos em que a economia estiver estável existirá um momento ideal? Nem sempre! O momento ideal é aquele que você cria, é a junção da oportunidade com a sua capacidade de executar aquilo que precisa ser realizado. É a hora que você decide arriscar, que você decide experimentar e se põe à prova para fazer. Entrar na célula 4, do equilíbrio e resultado, é ter a capacidade de escolher as melhores ideias, transformar essas ideias em tarefas executáveis e, principalmente, conseguir levá-las adiante.


Autor: Christian Barbosa;
Editora: Sextante;
Ano: 2012;
Idioma: Português;
Nº de Páginas: 144.


Fonte:

Psicologia das Organizações – Processos Psicológicos Básicos

Funções mentais como sensação, percepção, atenção, memória, pensamento, linguagem, motivação, aprendizagem e etc, são caracterizadas na psicologia como “Processos Psicológicos Básicos”. Essas funções derivam tanto das interações de processos inatos quanto de processos adquiridos, junto a relações do individuo de experiência e vivência com o meio. Apesar das distinções desses processos é por meio de sua relação e influência que se pode compreender a dinâmica da mente, pois eles interagem e até dependem de outros processos. Algumas das funções mais estudadas nos processos psicológicos básicos são:

Memória: Capacidade que permite a codificação, o armazenamento e recuperação de dados. De forma resumida a memória pode ser dividida em três processos:

  • Codificação: Envolve o processo de entrada e registro inicial da informação e a capacidade de mantê-la ativa para o processo de armazenamento.
  • Armazenamento: Envolve a manutenção da informação codificada pelo tempo necessário para que possa ser recuperada e utilizada quando evocada.
  • Evocação ou reprodução: Caracterizada pela recuperação da informação registrada e armazenada, para que possa ser usada por outros processos cognitivos como pensamento, linguagem e etc.

A memória ainda pode ser classificada como memória de curto prazo, memória de longo prazo, autobiográfica, episódica e sensorial. A perda ou dificuldade de armazenamento ou recuperação de informações é conhecida como amnésia e deve ser tratada sendo comum em casos de lesões e traumas de diferentes espécies.

Emoção: É um estado mental subjetivo associado a uma ampla variedade de sentimentos, comportamentos e pensamentos. Ela desempenha um papel central nas atividades humanas, já que as emoções alteram a atenção e o nível do comportamento resultando em diferentes respostas do indivíduo. Pode ser considerada como uma espécie de depósito de influências aprendidas e inatas.

Pensamento: É a capacidade de compreender, formar conceitos e organizá-lo. Estabelece relações entre os conceitos por meio de elementos de outras funções mentais (como as vistas anteriormente), além de criar novas representações, ou seja, novos pensamentos. O pensamento possibilita a associação de dados e sua transformação em informação estando conseqüentemente associado com a resolução de problemas, tomadas de decisões e julgamentos.

Linguagem: A Linguagem é a capacidade de receber, interpretar e emitir informações ao ambiente. Por meio da linguagem podem-se trocar informações e desenvolver formas de compreensão e de expressão. A linguagem reflete a capacidade de pensamento, então se uma pessoa tiver um transtorno de pensamento sua linguagem poderá ser prejudicada. Junto aos processos cognitivos é que a linguagem se desenvolve e se as habilidades das funções mentais são crescentes assim os recursos linguísticos também serão.

Sensação: A sensação é a resposta sensorial ou objetiva ao estimulo do meio ela detecta a experiência sensorial básica por meio dos sons, objetos, odores e etc. Desse modo, essa função pode classificada como sendo de natureza objetiva.

Percepção: Refere-se a capacidade de captar os estímulos do meio para processamento da informação. Os órgãos dos sentidos são responsáveis pela captação das informações, ou seja, o processamento cerebral depende da visão, olfato, tato e etc. Ela é considerada uma característica subjetiva, diferentemente da sensação que é classificada como sendo objetiva.

Fonte:


OBS: Texto dirigido ao estudo da disciplina Psicologia das Organizações, do curso de Administração de Empresas da Faculdade Ateneu.

#PsicologiaOrganizacional #ProcessosPsicológicosBasicos #administracao #recursoshumanos #RH #gestaodegente

Estatística Aplicada – Coordenadas Polares

Está desde há muito determinado que a Matemática faz parte do nosso quotidiano, com frequência de um modo pouco evidente para a maioria de nós, mas em certas ocasiões assumindo uma expressão bem visível, cujos exemplos abundam na Natureza e no meio que nos envolve. No fundo, trata-se apenas de aprendermos a olhar.

Coordenadas Polares – O que são?

Muito usadas no Ensino Superior, as Coordenadas Polares ainda são pouco conhecidas, principalmente no Ensino Médio, e menos ainda suas aplicações. Como o próprio nome já diz são um tipo de notação de coordenadas que se colocam num plano bidimensional, como um tipo especial de plano semelhante ao Cartesiano, só que utiliza outros parâmetros. Usando uma definição mais matemática, poder-se-ia dizer que é um plano de coordenadas (r, θ),sendo r = raio e θ = a um ângulo qualqueraplicadas sobre um plano, conhecido com pólo (origem) equivalente ao eixo x nas coordenadas cartesianas. Uma vez escolhido o raio que se quer, traça-se na direção do ângulo θ uma semi-reta (raio), assim:

Figura 1.a: Representação de coordenada polar no plano

Ora, para plotar uma determinada coordenada basta inserir seus valores nos respectivos eixos, isto é, seja a seguinte coordenada (1, π/3), no gráfico ela fica:

Figura 1.b: Par ordenado (1, π/3) em coordenadas polares 

OBS: É importante verificar em qual notação está se usando os valores para θ. Normalmente utiliza-se a notação em radianos, isto é, ao invés de dizer que um ângulo tem 60º, diz-se que ele tem π/3rad, que é o seu correspondente em radianos.

Esse intricado sistema foi desenvolvido por Isaac Newton para facilitar alguns cálculos matemáticos. Apesar de ainda não ser amplamente conhecido o sistema oferece uma nova abordagem sobre gráficos e funções apresentando contornos curiosos. Por exemplo, veja plotagem da função r = 1 + senθ

Figura 2: Crardióide

De modo análogo ao que ocorre nas coordenadas cartesianas, em que se atribuem valores à funções para se obter o gráfico, também o é em coordenadas polares. Observemos abaixo alguns valores

θ        r = 1 + senθ                        (r, θ)

0        r = 1 + sen0                         (1, 0)
π/6     r = 1 + senπ/6 => 1 + 1/2     (3/2, π/6)
π/4     r = 1 + senπ/4 => 1 + √2/2   (1 + √2/2, π/4)
π/3     r = 1 + senπ/3 => 1+√3/2     (1 + √3/2, π/3)
π/2     r = 1 + senπ/2 => 1 + 1        (2, π/2)

E assim sucessivamente. Uma vez encontrados os valores é só plotar, como no exemplo anterior e juntar os pontos. Foi dessa forma que nasceu a nossa bela Cardióide acima, nome esse dado por assemelhar-se a um coração.

Por exemlo podemos calcular uma rosa de ‘n’ pétalas. Seja r = 1 – 3cos(10θ), o resultado será uma rosa de 20 pétalas, veja:

Figura 3: Rosácea de 20 pétalas

Essa plotagem torna-se muito trabalhosa se feita na mão bruta [sic.], então é melhor usar programas que desempenhem funções matemáticas mais complicadas, como na imagem acima. Neste caso foi utilizado o programa Wimplot, mas há dezenas de outros que tem a mesma finalidade. Com o uso desses programas é possível inventar uma infinidade de gráficos de diversos tipos, fazer comparações, estudar sinais, derivadas, áreas, volumes, comprimentos entre outros cálculos.

Uma pergunta naturalmente surge: E se fosse em coordenadas cartesianas, como ficariam essas coordenadas? Para responder a essa pergunta é necessário irmos para o plano. Seja o plano abaixo:

Figura 4: Coordenada polar (r, θ)

Pela relação trigonométrica sabemos que:

senθ = x´M´/r (Equação I)

cosθ = ox´/r     (Equação II)

Onde

x´M´= y    

e

ox´= x, onde x e y é o par ordenado, (x, y).

Substituindo nas equações I e II, temos:

senθ = y/r => y = rsenθ

cosθ = x/r => x = rcosθ

Por Pitágoras fica:

r² = x² + y²

Que são as respectivas fórmulas para se transformar coordenadas polares em cartesinas e vice-versa.

Seja o par ordenado (1, π/3) da figura 2, podemos transformá-la em coordenadas polares aplicarndo as fórmulas descritas acima, assim:

y = 1sen(π/3)

y =  √3/2

e

x = 1cos(π/3)

x = 1/2

Então fica (1/2, √3/2)

No gráfico fica:

Figura 5: Gráfico Cartesiano

Por fim no Winplot podemos vislumbrar lindas figuras como a seguir:

Figura 6: Várias funções na construção dos gráficos

Certamente criações como estas revelam quão lindo e fascinante é o mundo da matemática. Além das coordenadas polares existem as coordenadas implícitas, explícitas e paramétricas no plano bidimensional (x, y) adicionadas às esféricas e cilíndricas no tridimensional (x, y, z).


FONTE: