Tag: Tractatus Logico-Philosophicus

Linguagem #9 – Dos fundamentos platônico-aristotélicos para os jogos…

Platão, um dos nomes mais expressivos da tradição, tem o mérito de haver sido o primeiro a tratar da linguagem como objeto de investigação filosófica. A obra Crátilo doou à sua investigação uma pesada carga metafísica. Os conceitos nela contidos baseiam-se na dualidade mundo sensível-mundo inteligível, o que, aliás, é a grande descoberta desse pensador. … Continuar lendo Linguagem #9 – Dos fundamentos platônico-aristotélicos para os jogos…

Linguagem #8 – Reviravolta metodológico-pragmática e…

Iniciada em 1936, a obra Investigações Filosóficas só veio a ser terminada no ano de 1950. É composta de duas partes distintas, uma das quais foi terminada em 1946 e a outra, bem pouco antes da morte do autor, conforme dito acima. A distinção entre as duas partes se refere à cuidadosa ordenação paragrafal da … Continuar lendo Linguagem #8 – Reviravolta metodológico-pragmática e…

Linguagem #7 – A REVIRAVOLTA METODOLÓGICO-PRAGMÁTICA

Neste capítulo, trataremos de explicar a obra em estudo através de dados históricos e de categorias fundamentais do pensamento wittgensteiniano. Pô-lo-emos em relação com as perspectivas de Platão e de Aristóteles, por julgar ser esta a forma mais apropriada de confirmar sua nova vertente do ponto de vista segundo o qual seus predecessores abordaram respectivamente … Continuar lendo Linguagem #7 – A REVIRAVOLTA METODOLÓGICO-PRAGMÁTICA

Linguagem #6 – O segundo Wittgenstein e a linguagem como condição de possibilidade…

Entramos na segunda fase de Wittgenstein. O itinerário por nós percorrido até aqui é de fundamental importância para que possamos compreendê-la, pois é contrapondo-se suas duas fases que se torna possível chegar a um entendimento acerca das suas Investigações. Nesta fase, Wittgenstein assume uma perspectiva de frontal oposição em relação à tradição, que tem sua … Continuar lendo Linguagem #6 – O segundo Wittgenstein e a linguagem como condição de possibilidade…

Linguagem #5 – O primeiro Wittgenstein e a função designativa da linguagem

Wittgenstein é um dos principais herdeiros do pensamento aristotélico. Tendo, em suas obras, abordado exclusivamente a linguagem, teve a oportunidade de ampliar conceitos fundamentais de Aristóteles que tratam da lógica e que se aplicam à linguagem. Propôs-se, assim, a uma nova sistematização do ato de predicar o real. Admitiu os erros da tradição e partiu … Continuar lendo Linguagem #5 – O primeiro Wittgenstein e a função designativa da linguagem

Linguagem #4 – Wittgenstein: O homem, a obra e o tempo.

Na obra Investigações Filosóficas, que corresponde à segunda fase de seu pensamento, Wittgenstein abre infinitas possibilidades para a linguagem. Num ato improvável, dá uma completa reviravolta linguística ao refutar a grande obra de sua vida, o Tractatus Logico-Philosophicus, e, com isso, toda a tradição filosófica ocidental. Não significa que, agindo assim, tenha chegado a negá-la, … Continuar lendo Linguagem #4 – Wittgenstein: O homem, a obra e o tempo.